quinta-feira, 17 de maio de 2012

Amigo, ahah, isto dá-me graça! Contar isto, e pensar nisto, dá-me uma súbita vontade de rir! Porquê? Simples, dizias amar-me tanto, com uma grande imensidão, que eu, tinha sido a pessoa que mais amavas. Ui! Ahah, foi só preciso um mês (ou menos, talvez), para te esqueceres de mim, e já andares a comer outra! Eu sei, que te disse para seguires em frente, eu sei, eu também segui, mas, eu não comi o primeiro cão que vi, ao contrário de ti, que tens sempre segundo plano! Começo por pensar, como fui eu acreditar no monte de merdas que tu dizias? Já devia saber que tu não passas de um cab***, e que, os cab**** não mudam. 

Sem comentários:

Enviar um comentário